sábado, julho 12, 2008

deixando-me levar...

photo: oriana_heliz

embrenho-me nos ventos do norte,
sou pétala, sou folha de outono,
deixo-me ir para onde o vento me levar...
já não há vida no meu coração
e a alma transformou-se em pedra.
levantei a taça de vencido
e fiz jus o vencedor...
nos meus olhos,
nascem vagas de negras lágrimas,
e a sombra da lua e do sol
espelha-se sobre mim.
sei que aqui e ali não sou feliz,
por isso parto para a aventura...
entrego-me ao mundo,
como o cordeiro se entrega ao lobo,
levo a guitarra sem cordas nas costas,
papel rasurado e uma caneta virgem,
levo o meu corpo
embebido em sangue, suor e lágrimas,
cavo sementes de poesia
e desatino a dor que me acompanha.
ergo a fronteira da vida e da morte,
sou condenado no tribunal do sofrimento,
onde o diabo é o meu advogado,
onde os seus discípulos riem
pela pena em mim imposta,
penitenciado, acusado e torturado,
ficam com o que resta de belo,
com actos impunes, eles vencem... uma vez mais.
continuo a viagem a que me submeti,
caminho descalço pelo tapete em brasas,
pelo passeio de espinhos...
mas, não é esta a dor que me tortura...
peço para serem clementes
e porem um ponto final...


mas algo surge no horizonte,
uma borboleta, uma flor, um anjo,
que me diz, sem eu merecer,
para acreditar em mim...
fico estatelado e tento perceber
porque me diz, o que me diz e quem é...
interrogo-me se será mais um truque
do meu querido advogado,
mas não... não sei... parece ser amiga...
dispo a minha nudez,
aperto a minha guitarra, pronta a tocar (sem cordas)
levanto a caneta, estendo o papel
e tento fazer algo... uma canção...
assim me iludo... me perco...
nas pétalas do condenado, nas amarras do inocente
e sigo sem saber por onde andar...



serás tu meu anjo que me irás encaminhar?



Bruno Ribeiro
Março/00

8 comentários:

Moon_T disse...

lindas estas palavras, sem duvida.
os caminhos e encruzilhadas que encontramos podem ser turtorosos e sinuosos, que são, mas são os nossos, da-lhes valor por isso.Nao sao de mais ninguem!

Venham borboletas e flores e anjos mas...(!) que nunca nos encaminhem. que estejam sempre ao nosso lado, que nos acompanhem , que nos apoiem e que nos ajudem, porue o nosso caminho somos nos que o escolhemos.
que o anjo te acompanhe no teu caminho.




obrigado

pimentinhabm disse...

poxa muito lindo!
bom domingo
=*

f@ disse...

As amarras do inocente são breves fios de seda ou cadeados de ferro... pode ser que enferrugem..
Belo e doloroso...
imagem tb. ..
beijinhos das nuvens

Perla disse...

Até numa guitarra sem cordas se pode ensaiar uma música de vento e fogo...
mas é tão melhor se se puder tocá-la nas pétalas de uma flor ou embalá-la nos braços do amor.

Bjs

NAELA disse...

Bruno nas pétalas do condenado, nas amarras do inocente
e sigo sem saber por onde andar...
Sentimento doloroso revestido de luz, pois os liricos da tua canção beijam os versos compondo mais um poema magnifico!
Beijo doce

Por entre o luar disse...

Pode ser que sim=) Basta acreditar... quem ganha é sempre aquele que acredita que consegue:P

Beijinho e sorriso*

S. disse...

Obrigado pela tua visita e sobretudo pelas palavras.
Voltarei para me perder pelas tuas :)

ivone disse...

li e reli
para te tentar perceber


só não consegui entender o papel do teu advogado no meio disso tudo que te vai na alma...
será uma metáfora?
podes esclarecer_me ou nem por isso?


bj