terça-feira, maio 27, 2008

um café à beira-tejo…

photo: shy moon..._heliz


o repousar do sol já se deu…
e os meus olhos repousam no rio,
enquanto os barcos navegam ao sabor do vento!


na minha frente, uma cadeira vazia,
à espera da chegada de alguém, não sei quem,
mergulho na calma ali procurada,
por, ainda, a solidão me fazer companhia.

um vulto apodera-se dessa cadeira
comigo levantado e um par de beijos.

a conversa apodera-se das horas
as horas jazem com sorrisos nascidos
os olhares trocam-se perante o rio!

um violino longínquo que se aproxima,
som meloso que penetra na noite
cada vez mais perto!
um desconhecido surge com rosas
um sorriso do luar que prateia o rio.
e por vezes o silêncio para o escutar…

surge do nada um violoncelo
música do nenhures ali presente!
nós, ali presentes…
um pequeno concerto só para nós!
som altivo que nos enche o espírito

passeio junto ao rio até ao mar…
e as horas passam sem passar…
ancoramos na praia junto a uma fogueira
enquanto conversamos ao luar….

banho de sal…
banho de areia….
desejos com desejos…
sonhos com sonhos…
olhares com olhares…
sorriso com sorrisos…
corpos com corpos…

e quando o sol nasce
os nossos corpos repousam juntos
colados com o fulgor da paixão…

onde as nossas mãos passearam…
corre a água de um banho…
e por onde corre a água…
correm as nossas mãos…

banho de sedução…
sons que indagam os nossos seres
corpos colados tornados um só,
corpos molhados,
pintados pelas mãos…

chocolate a derreter no corpo,
sabor doce…
desenhos, rabiscos de prazer…
sabor doce o dos nossos corpos…
e passamos o dia enrolados na paixão
a dançar pelo chão,
pela cama, pelo chuveiro…
e paramos a olhar um para o outro
como na noite na praia
até que a lareira se apagou
e o nosso olhar adormeceu…

e acordo só na minha cama!

Bruno Ribeiro
Lx. 8.Fev.007

15 comentários:

teetee disse...

Um café...
Um momento com
Uma página escrita e ocupada com tantas palavras em troca de minutos
Momentos efemeros...
Ás vezes a vida movimenta-se de uma forma estranha que nos faz querer viver sempre a sonhar por aquele café que nunca saboreámos...

Baci,

teetee

Flôr de Luali disse...

Podia dizer, mas não vou dize-lo para não te embaraçar:P
Momentos unicos, que tÊm que ser melhor saboreados...
É aquela história do despreendimento...
Por vezes bebemos o tal café, mas não o sabemos saborear...

pimentinhabm disse...

so o titulo me deixou com vontade
doro cafe

=*

Som do Silêncio disse...

Boa tarde Bruno!

É...café é de facto algo que não se descreve...saboreia-se!
É...este texto é de facto algo que não se comenta...sente-se!

Beijo terno

MirMorena disse...

M
A
R
A
V
I
L
H
O
S
O...

Bjuss de carinho ao sabor de café

Paula disse...

Fantástico blog.

Excelentes poemas!

Abraço

Por entre o luar disse...

Uma linda historia... pena teres acordadó só na tua cama..:S:S

Beijinho e sorrisO*

f@ disse...

Belissimo este poema.... Um café ao vento... aurora no rio e beijinho nas rosas das nuvens

Secreta disse...

Que sonho magnifico ...
Beijito.

NAIKAN disse...

Um café com o sabor de sonho...
Um sonho com o sabor de café....

Um poema com o sabor de desejo...

Bjs

Reticências disse...

Um café à beira rio, entre tantas outras coisas que gostava de saborear com a pessoa que habita os tormentos do meu ser...

gostei muito.

teetee disse...

Passo e semeio uns pequenos grãos de bom fim de semana...

Abracinho,

teetee

NAELA disse...

Bruno lindo...os meus olhos repousam no rio,enquanto os barcos navegam ao sabor do vento...
Excelente! Pois foi assim tal como este teu sentir que bebi um cafe a beira-tejo!
Assim vale a pena regressar;)
Beijo

LNeves disse...

"desenhos, rabiscos de prazer…"

Ao menos acordou na tua cama... :PPP

***MUAH***

Azul disse...

Sabes.. já perdi a conta das vezes que li este post... e olha... para não escrever "nenhum disparte"... sim porque depois de um texto destes... tudo o que se disser... é pouco... então... deixo-te só um beijinho e digo que ADOOOORRRREIIII