sexta-feira, abril 04, 2008

caminho da morte


Percorro caminhos nos palácios romanos
Sinto o odor do público a aclamar
O nome do meu carrasco
Sinto a humidade que escorre
...........................Das paredes de pedra
Nestes caminhos do subsolo
Sinto o som do afiar as espadas
O som dos cavalos…
Saboreio no ar o sabor da areia
Que se banha no centro da arena
Percorro os calabouços dos palácios
Por entre a multidão que vibra
Por um qualquer meu desconhecido

Ar pesado,
Sinto o suor do público
A ferocidade e a alegria
Sou atirado para o desconhecido
Enviado às feras do apocalipse…

Percorro os escombros dos meus passos
Sinto o fervilhar do olhar do carrasco
Que se ergue à fome
De lançar a espada para me esventrar
Estendem-lhe uma mesa de armas
Panóplia do aço da morte
Ergue uma espada e um escudo
O som ensurdecedor da multidão
Metal contra metal
Espada contra escudo
E a multidão a vibrar…
Sinto o odor da carne
E o carrasco à espera
De poder começar a triturar-me
Ergo o olhar ao desconhecido
E os pensamentos estão longe dali!

Na tribuna todos apostam
Duvido que alguém aposte em mim,
(por certo seria perda de ouro)
Alguém se ergue…
Levanta a mão…
Sinal do início do festim
Em que a minha carne será banquete

O carrasco volta a erguer
O escudo e a espada de metal
O público aplaude…

Eu ergo uma pena de corvo!

Bruno Ribeiro
Lx. 3.Nov.007

11 comentários:

Som do Silêncio disse...

Bruno!

Conseguiste o que poucos conseguem fazer...
Conseguiste que eu fosse o personagem...e que sentisse palavra por palavra tudo o que descreves!
A intensidade do que senti, não sei se consigo descrever...
Fui a personagem na arena, fui público, fui a mão que levantou..., fui quem atirou a pena para ti...
Consegui ser tanto...

Não digo que aplaudo de pé...
Digo sim que me marcou...

Para ti...o meu beijo

Twlwyth disse...

Se quiseres eu posso ser o teu carrasco. Sou meiguinha...

Estou a brincar, é claro que apostaria em ti e no poder da tua escrita.

Beijos

Azul disse...

Boa Noite Bruno!

Palavra por palavra... estremece-se por dentro.

Eu Apostaria em ti!

Na tua mão... não uma pena de corvo mas uma rosa branca.

Beijo Meu
Azul

Bichinho disse...

Apostaria em Ti claro!
Beijo fantasma.

Brain disse...

Bruno,

Mais um texto que...
Só podia vir de ti mesmo!

De mim,
Com Admiração,
Aquele Abraço!

Alma Nova disse...

No mundo de hoje, quem arrisca ser verdadeiramente genuíno e verdadeiro, não há um único dia em que não se sinta jogado à arena e pasto de feras.
Mas...eu continuo a apostar na Verdade intrínseca de Ser pessoa!

f@ disse...

Olá e obrigado pela visita às nuvens, tb gosto mto deste espaço e como gosto da imagem de apresentação! porque gosto de Al Berto.

Festim tb foi ler o que escreves...
Não é necessério carrasco nem espada ... Pena sim mas para escrever... beijinhos e parabéns pelo espaço

ivone disse...

e voas_____e sobrevoas_te


rumo à eternidade____branca clara pura

Maria Manuela disse...

Muito bom mesmo. gostei.

Bj

su disse...

Extasiada.
sente-se como se se estivesse lá.
Gladiador de palavras enfrentando actos mais cruéis do que a morte...pano de fundo de outra coisa qualquer em que a alma se despe da sua temporalidade e assume a luta pelo passado, pelo pressnte, pelo futuro incerto que se espera mas que se sabe guardar os reflexos pretéritos.

Muito bom!!

impulsos disse...

Bruno
Este decerto que é um daqueles textos a que te referias no teu comentário feito lá no meu blog...

Um maravilhoso escrito que me fez sentir como se estivesse lá... adorei a sensação deste momento criado por ti e sentido por nós!
E claro que apostaria em ti... sempre!

Beijo