quarta-feira, fevereiro 07, 2007

violino


Grito de dor longínquo… o eco, absorve as minhas energias, transforma-me, consome-me…
Olhares misteriosos, nas sombras de árvores queimadas, procuram saciar a fome com a peregrinação dos abandonados – espíritos maléficos a vaguearem como nuvens…
Caminho descalço neste pântano obscuro de incertezas, as imagens do passado perturbam-me e as certezas do futuro são vagas…

Mais gritos de dor distantes, em que o eco penetra no meu ser causando-me arrepios… o vento que faz oscilar as árvores [tempestade]. Lobos que uivam num bailado à candeia da lua sombria amarelada…
Arbustos em forma de cruz espalhados pelo caminho, percorrido por tantas almas desconhecidas de certezas esventradas.
Luz ténue e trémula esta que a minha sombra segura, sem rumo, sem norte [perdida]!
Sinfonia inquietante aquela que me faz olhar para o vazio, com os olhos a transbordar de água, melodias melancólicas, sons estranhos, sons soluçosos de corações a chorar para a eternidade, para o infinito da morte, sem descanso, ecoam entre as árvores negras sem sombra, espelhando a dor dos seus acordes.

Bruno Ribeiro

6 comentários:

Flôr de lua disse...

"Este céu passará e então
teu riso descerá dos montes pelos rios
até desaguar no nosso coração"(Ruy Belo)

yohanan disse...

Pelo mundo fora existem miríades de corações em sofrimento. Sofrem de fome, de doença, de frio, de solidão, de saudade, de amor, de infelicidade, po tanta coisa que seria dificil inumerar todas. Esses ecoam sons silenciosos que nós não ouvimos literalmente mas que existem, assim sou eu e és tu com as nossas dores e os nossos tormentos que só nós proprios sentimos e ouvimos. Mas um dia, tudo passa, e som que ouviremos será o dos sorrisos banhados em felicidade absoluta," assim seja"...

Beijinhos doces e fofinhos

meialua disse...

Adoro o som do violino, pode ser uma melodia até triste, mas é simplesmente bela.

Tal e qual como o que escreveste...

Beijinhos*

mensageira disse...

O vilonino é um instrumento que puxa pelo sentimento mais recondido e profundo de uma alma,a musica acompanha-nos sempre nos bons e maus momentos, seja ela triste ou mais animada. Esses gritos silenciosos de ajuda que todos nos transmitimos em alguma altura da nossa vida,nem sempre sao pedidos de ajuda, mas uma forma de captar a atençao de quem esta mais perto de nós e de quem verdadeiramente amamos. Grita, e grita bem alto quando isso acontecer, da força à tua voz.

Beijo.

rainbowsky disse...

A dor dos acordes... tantas vezes ela surge por entre o nevoeiro, como se fosse um raio de luz, mas apercebemo-nos que a vida afinal é um traço bem mais negro, como o carvão na folha de papel. O violino faz-me lembrar as noites eternas de melancolia... Mas é certo que a plenitude dos acordes nem sempre tem de ser necessariamente triste... basta que vejamos no íntimo da música o lado vivo das coisas em que acreditamos e queremos alcançar...

betty boop disse...

O passado é uma certeza, uma pintura finalizada.
O futuro uma incógnita, uma eternidade a esboçar.
Que o vento que faz oscilar as árvores te encaminhem para uma viagem repleta de sons suaves e doces, seduzido pelos acordes da mesma melodia.
um beijo doce da Betty