domingo, janeiro 13, 2008

Uma curta-metragem

photo: Just as long as I stay_heliz


‘deixo o rio beijar o meu corpo despido
e o vento acariciar o meu rosto...
diluindo as lágrimas que sinto;
deixo o sol secar o meu corpo
e a brisa acarinhar o rosto...
erguendo um pequeno sorriso!

Sento-me num banco de pedra
E imagino mil filmes
Espalhados pelo rio...
Pelos bancos do jardim, pelas árvores...
Que navegam no desconhecido
Imagino-me como actor principal
Em imagens de sonhos idos
Rasgados pelo desenho de um relâmpago.

Olho para a calçada...
Para crianças a brincar,
Para velhos a passear,
Para casais a namorar,
Para cães a ladrar,
Para o céu a chorar...
E sentado fico
A imaginar filmes de tempos idos...

Bruno Ribeiro
Lx,12.Fev.007

7 comentários:

Som do Silêncio disse...

Olá Bruno

Mas que te posso eu dizer?
...

Adorei!

Bjs

Flôr de Luali disse...

Gosto, apaixonadamente, de te ler...mas os teus ultimos três poemas estão...simplesmente belos.
Aquele abraço...com carinho e amor

Flôr de Luali disse...

Beijo no coração perfumado de alegria, magia e amor

Twlwyth disse...

Agora imagina o futuro (ou presente) como uma longa metragem de poesias de vida partilhada.
Beijo.

Som do Silêncio disse...

...
And i like you!

Kiss

Rain disse...

Um filme a preto e branco como este poema lindo...

Sara Imaginário disse...

O passado é o bilhete de metro para o futuro...