domingo, janeiro 20, 2008

olhar do desejo

photo: intimate 24 _ a brito

‘são tantos os tempos que me perco no tempo
são tantas as imagens que me atravessam
mas o teu olhar… ai! o teu olhar…
faz-me perder o sentido de qualquer tempo,
faz-me imaginar perder-me no teu olhar…

‘são tantos os versos que me fazem perder
sobre os sorrisos da tua imagem que recordo
em pequenas lembranças do futuro
palavras escritas no meu olhar
de te desejar aqui ao meu lado…

‘desejar-te…

desejar beijar o teu rosto, os teus lábios,
desejar beijar o teu pescoço, os teus ombros,
desejar beijar os teus braços, as tuas mãos,

beijar o teu corpo… os teus seios…
a tua barriga… vê-la tremer… nervosa!
tocar-te ao mesmo tempo que beijo
brincar com a língua
pintar o teu corpo com a paixão
e saciar o meu apetite voraz!


‘são tantos os desejos que fico sem tempo
de não querer olhar no teus olhar…
fico sem tempo e não quero,
deixar de te olhar enquanto te possuo
e os teus olhos nos meus de prazer
insaciável os pecados da carne!

‘são tantos os tempos que me perco no tempo
são tantas as imagens que me atravessam
mas o teu olhar… ai! o teu olhar…

Bruno Ribeiro
PMS, 12, Março.007

8 comentários:

Som do Silêncio disse...

É...
Já diz o ditado, não é?
"Um olhar vale mais que mil palavras".
Mas este teu texto hoje, bolas Bruno, é soberbo!!!
São tantos os tempos que me perco aqui...a ler!
São tantas as imagens que me atravessam quando viajo ao som das tuas palavras!!!
São tantos os desejos que...ahhhhhhhh...este frase não vou dizer (sorriso)

Um beijo terno

MIMO-TE disse...

Muito belo este texto, imitando a Som," e mais não digo..."


Bjo
Mimo-te

nuvem disse...

Este poema foi escrito com fogo :) Muito bom.

Beijos

Anónimo disse...

Muito bom mesmo...

Azul disse...

Olá Bruno!

Sabes, não sabes?! Que adoro ler-te!

Sabes, não sabes?! Que imensas são as vezes que nas tuas palavras me "vejo"...

Tenho passado... leio-te sempre. Mas... ultimamente... tem sido dificil escrever o que quer que seja...

Beijo Meu
Azul

ESPÍRITU disse...

Gostei de ler:)

Brain disse...

Quando um olhar,
Nos arma e desarma,
Nos pede e relepe,
Nos chama e expulsa,
Nos tem e não tem,
Nos quer e requer,
O olhar,
Nos olhos,
De quem beija,
Com fogo.

Fabuloso Bruno!

Um Abraço meu.

Sara Imaginário disse...

Dois olhares que se penetram mutuamente e planam suspensos um no outro perdidos do mundo e do tempo extasiando-se no sonho e no momento.