sábado, janeiro 26, 2008

Perdido!

photo: o homem que quis matar o destino_heliz


Perco-me nas vozes que me divagam...
Perco-me no silêncio que me invade...
Perco-me na solidão que me assola...
Perco-me no tempo e no espaço...

‘a melodia que soa a traição
e a balada da mentira
não me saem da cabeça...

perco-me no esquecimento...
perco-me na vontade de sorrir...
perco-me nos acordes do silêncio..

que invade o meu ser
a cada instante
em cada momento...

perco-me na espuma do mar...
perco-me nas nuvens que esvoaçam...
perco-me na efémera palavra...
de me perder a mim próprio!

Perco-me na cinza das horas...
Perco-me na chuva...
Perco-me nas bolas de sabão...
Perco-me no meu próprio olhar!

Bruno Ribeiro
PMS, 11.Fev.007

8 comentários:

Oliva verde disse...

Perder para se encontrar!
Lindo.
Beijinhos

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

Som do Silêncio disse...

Olá Bruno...
Sabes uma coisa?
Eu perco-me quando te leio!
Não existe volta a dar :)

Beijo terno

Som do Silêncio disse...

:)
Obrigada pela visita ao "novo" espaço!
E sim, claro, deixo o meu beijo terno para ti.

nuvem disse...

Ainda bem que por mais que te percas, te encontramos sempre aqui... :)

Beijos

Brain disse...

E esta sensação de perdido,
Que nos causa a vontade premente,
De busca por nós próprios,
Ou então,
De simplesmente,
Sentarmo-nos a um canto,
E continuar cada vez mais,
Mais fundo,
Mais completa,
E absolutamente,
Perdidos,
Até de nós próprios.

Bruno,

Aquele Abraço.

Um Momento disse...

Perdi-me...
Na espuma do mar...
Nas nuvens a esvoaçar...
Nas tuas palavras...
Lindo!

Beijo...perdido... que te encontre

(*)

Sara Imaginário disse...

Perdido num espáço de sofrimento atróz onde só se encontram os que são tão sós que não entendem o riso do mundo porque se exprimem num olhar profundo