segunda-feira, março 19, 2007

miscelânea de sentidos que sentem o teu partir


Sentir o teu não sentir...
Ver o teu não ver...
Querer-te, sentir e ver...
Inalar o teu perfume ausente...
Escutar o teu silêncio...
Tocar na textura da solidão...

‘apenas pergunto onde a corrente me leva
neste barco de papel que navega ao luar
sobre o mar prateado...
tão frágil...
como a lágrima que teima em escorrer no olho
límpida como a pureza da melodia
que o meu coração toca ao pensar em ti.

Bruno Ribeiro
Lx. 4.Fev.007

8 comentários:

betty boop disse...

"Inalar o teu perfume ausente..."

Às vezes sentimos no momento certo...
O sincronismo encarrega-se de surpreender-nos com a palavra certa que é proferida no momento em que sentimos uma fragância quente e envolvente que nos embala em boas recordações e anula as desilusões...aiiii

Um beijo de quem está sempre aqui para te ler e ouvir.

yohanan disse...

No momento certo a nossa vida se encherá de cor e alegria. adorei... lindo!

Beijinho doce e fofinho

rainbowsky disse...

É difícil pensarmos em certas coisas que nos magoam, mas por certo elas existem por alguma razão. Belo poema e bela foto! Um abraço amigo.

Twlwyth disse...

Se quiseres, podes ser ainda mais teimoso do que a lágrima.
Gostei muito dos contrastes.
Um beijo de quem está quase sempre aqui para te ler. ;)

mensageira disse...

ao tantas as vezes que sentimos desta forma, quando o unico sentimento que resta é a saudade....

Beijo

Secreta disse...

Especial este teu sentir ... Não imaginas como me tocaram estas palavras.
Beijito.

Moura ao Luar disse...

Beijo sentido

Helga de Sousa disse...

Alô..gostei a partilha..tb tenho o que queira partilhar contigo..lualiapirilampo.blogspot.com..gosto de ti