sábado, dezembro 06, 2008

no fundo do mar

photo: o barco esquecido_heliz

mergulho na imensidão azul
e envolvo-me na espuma do mar
porque navego através do que sinto
e sufoco no próprio sentir…
beijado pelo sal das ondas
consciência sentida de uma lágrima perdida
que vagueia, esquiçada no meu rosto
também ele perdido…
o ar que foge do corpo
para se libertar de mim
os pulmões que respiram água
alívio de qualquer dor!
são sementes de pânico
estas deixadas sob o meu olhar
imperturbável pelo sal que sinto…

‘tento e tentei…
percorrer o mundo sem ti
mas a ti volto todas as noites
num delírio que me aprisiona
entre o perfume da memória
o perfume do sentir, perfume de ti!

‘tento e tentei…
apagar e afogar o que sinto
mas não se perde
na incolor ausência de ti

por isso afogo o meu corpo
na inconstância do meu ser
que sente e bate por ti…
são parcas as palavras
muito raras as que me aliviam
deste fustigado olhar vazio
por entre as gentes da solidão!

fossem as tuas palavras presentes
para aliviarem o meu coração…
sufoco este,
que me converte num suspiro
esquecido por entre o vento!
já me perdi,
nesta mancha azul
em que o ar se esvai
já me rendi,
às forças que não tenho
e assim me afundo…

sou… mais um grão de areia!

Bruno Ribeiro
Lx. 20.Set.008

10 comentários:

NAELA disse...

Bravo! As tuas palavras tocam a minha alma com uma sensibilidade que so quem sente consegue enaltecer estes versos que colam em mim, como uma segunda pele!
Beijo doce

Attitude Problem disse...

"...mas a ti volto todas as noites
num delírio que me aprisiona
entre o perfume da memória
o perfume do sentir, perfume de ti!"


É inevitável não regressar!
:))
Agradeço os mimos.***


Beijos. Meus.



[ Existem comentários não publicados por motivos pessoais. Os mesmos são salvaguardados. Há palavras que só a mim pertencem. :)) ]

ivone disse...

sempre que volto aqui encontro_te triste só e mal_amado. é mesmo assim ou contornas a escrita? e para quando um regresso à prosa poética que tanto amei? publicaste dois ou três textos e nunca mais me consegui deliciar com elas. na altura disse_te que tem mais a ver comigo mas acho que te esqueceste de mim.


beijo (teu)

Paradoxos disse...

fico espantado como casas tão perfeitamente as palavras com as imagens!!!

grande abraço, comovido!

as velas ardem ate ao fim disse...

um bjo azul para ti.

Lou Camille (na vida real Sílvia A.) disse...

mas é o menino a sentir isso tudo ou é só conversa?(!)

Pearl disse...

O grito que se dá dentro do liquido que nos embala e anestesia!
Vaguear sonâmbulo por àguas mórbidas em busca da praia quente que um dia desaguamos!

...beijos

butterfly disse...

Vim aqui parar por acaso e fiquei rendida...devorei o poema com sentimento que talvez também fosse o meu...
Vou voltar certamente :)
beijinhos

vero disse...

Fico presa ás tuas palavras, leio uma e outra vez e de cada vez que leio gosto mais e mais :)

Obrigada pela partilha :)

Beijinhos

Arménia Baptista disse...

Apesar da tristeza que transluz...é belo!