quinta-feira, novembro 20, 2008

um outrora que já não é

photo: evening_boji


receando a noite
e os fantasmas que ela me trás
e as sombras que bloqueiam o meu pensar

receando o dia
de me aperceber uma vez mais
que estou só! sem ti!

ai! soubesses tu…
que os meus passos
me levaram inconsciente
a percorrer outrora nossos caminhos

ai! soubesses tu…
que os meus olhos
esculpiram, inconsciente
silenciosas lágrimas outrora sorrisos!

luto contra os meus receios
vislumbre de pequenas realidades
telas cobertas por sombras
outrora coloridos olhares
outrora coloridos sentires

o meu olhar procura-te
inconsciente… sem te procurar
os meus lábios chamam-te
inconsciente… sem te chamar

Bruno Ribeiro
Leiria. 21.Junho.008

9 comentários:

Luísa disse...

E haverá sempre o sentimento silenciado da saudade...por já ter encontrado o saber de o ter perdido!
Mais uma vez, ADOREI!

Brain disse...

...e os teus dedos,
escreveram assim,
de forma Sublime!

Espectáculo este teu escrito Bruno!

Aquele Abraço.

Twlwyth disse...

Os passos que nos levam pelos caminhos do tempo.

Belo, como sempre.

Beijo doce Bruno

O Fantasma e o Anjo disse...

Uau!
beijo e abraço

Eclipse disse...

"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?"


Nada mais acrescento.
Um beijo.

ivone disse...

há em cada um de nós um livro de memórias que de vez em quando temos de reabrir para nos sentirmos vivos. antes escritos antigos que ainda se espalham pela página do que palavras esquecidas no fundo da gaveta. porque a memória essa nunca se deve apagar por muito que nos custe por vezes lembrar. estas tuas são boas memórias por esse motivo há que mantê_las vivas. sempre ali ao lado.

Pearl disse...

Por vezes encontramos as nossas verdades na inconsciencia...aquelas que ainda lutamos contra!

beijo grande

NAELA disse...

Bruno adorei a imagem, alem do poema que complementa este sentir!
Beijo doce

Som do Silêncio disse...

Ai soubesses tu o quanto este texto me tocou...

Beijo terno