sexta-feira, novembro 02, 2007

o vazio do silêncio, esboços de solidão

photo: encontro-me no silencio do teu respirar_ daniel oliveira

peregrino dos meus pensamentos…
bate em mim um novo ser,
ou pelo menos, um ser
que apenas estava escondido e que se revela
bate em mim um novo pulsar
novas formas de ver o que envolve
novos sentidos, novos rumos…
só os desejos e os sonhos se mantêm!

vagabundo do meu corpo,
vendo a alma ao desbarato
vendo o espírito, entrego-o…
entrego-me… vendo-o…
sem saber com que objectivo…
sem saber qualquer destino…

novos sóis que encontram em mim
palavras em versos que não se conjugam
apenas derramam pequenas lágrimas de sangue
novas luas em noites vazias
que procuram a vazia sombra da solidão
de pequenos esboços do meu ser!

sento-me num banco de pedra
frio como a fria solidão
estendo o olhar e os dedos
e perpetuo o meu silêncio
num velho piano esquecido.


Bruno Ribeiro
PMS, 11.Março.007

7 comentários:

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

Secreta disse...

O frio da alma e do corpo , que se acentua com a solidão que nos acompanha.

Som do Silêncio disse...

Gostei muito do momento que aqui passei.
Obrigada!

Beijo Silencioso

Utzi disse...

Frio e triste, como só o silêncio sabe ser.

Gostei muito. Beijo

Azul disse...

Olá Bruno!

De regresso de férias, voltei atrás para ler o que escrevestes.

Estranho o que te vou dizer... mas apesar de triste, transmitiu-me uma estranha paz. Talvez porque em tantas linhas que escreves eu me reveja nelas... não sei.

Sei apenas que saio daqui... bem.
Faz-me bem ler-te.

Obrigada
Beijinho
Azul

Rain disse...

Haverá alguma coisa mais solitária que o pensamento? O preço que se paga só para sermos nós próprios pode ser tão alto. Mas penso que vale a pena. Tudo. Sempre.
Gostei muito.

Twlwyth disse...

Ausente de ti mesmo, continuas a tecer fios de lembranças com poesia marcante. Beijo :)