terça-feira, dezembro 05, 2006

pesadelos


Nos teus braços… perco-me,
Os meus lábios procuram os teus
Num impulso automático,
Os nossos olhos penetram-se….
Os nossos corpos lado a lado
Ocupam o espaço que nos separam
Nesta noite tão fria…
As estrelas reflectem felicidade…

‘os mares revoltam-se…

… e acordo…
Rebolando entre os lençóis
Desta cama vazia…
O frio da solidão atravessa-me a espinha
E sinto o rosto lavado de sal…

Bruno Ribeiro
Porto de Mós, 4.Nov.06

6 comentários:

rainbowsky disse...

"O frio da solidão atravessa-me a espinha
E sinto o rosto lavado de sal…" só isso já explica o pesadelo... Quem me dera não saber o que é isso, mas não é fácil iludir a dor quando ela trespassa a carne e o sangue do coração escorre através dos olhos em forma de lágrimas. um abraço

yohanan disse...

Um começo de um sonho tão bonito, que acaba por se tornar num pesadelo...sossega a alma, pensa em coisas bonitas, sorri para o amanhã dos sonhos realizados. beijinhos doces**

mensageira disse...

São experiências que nos fazem enfrentar o medo de sermos rejeitados, o medo de nao sermos amados e em alguma altura na vida, já nos sentimos assim.

Beijo.

marisa disse...

espero k esse frio passe e esse mar salgado nao volte a percorrer teu rosto...

beijocas se precisares de algo sabes onde estou... beijocas em braza

Kathya disse...

Oies**...um sonho tão profundo e apaixonado que acaba num acordar tão só e frio. Porque a realidade nem sempre é como queremos...apenas os sonhos nos libertam dela...nem que seja por breves instantes.
Jufas**

{{coral}} disse...

Muito bom poema, recheado de sentimentos lindos.

{{coral}}